Semente na Mídia

8 07, 2018

Estadão: Avaliação de emoções e habilidades sociais desafia colégios particulares

2018-07-11T14:28:04+00:00 Semente na Mídia|

Veículo: Estadão Escolas criam estratégias para examinar aspectos como resolução de conflitos e trabalho em equipe, previstos na Base Nacional Comum Curricular e consideradas importantes para formar os jovens Diretora do Programa Semente, que incentiva a aprendizagem socioemocional em redes públicas e privadas, Tania Fontolan vê desafios para medir essas habilidades. “Não se pode confundir com avaliações tradicionais. Tem de ser qualitativa, não quantitativa.” É preciso, diz ela, clareza sobre o quê se quer desenvolver. Em 2017, o Semente desenvolveu, com a Universidade Federal do Rio (UFRJ), um sistema de avaliação dessas habilidades, com base em questionários respondidos por 9,6 mil alunos. Veja mais...         

20 06, 2018

Caindo no Brasil: Escolas usam a Copa do Mundo para ensinar competências socioemocionais

2018-06-29T14:57:28+00:00 Semente na Mídia|

Veículo:  Caindo no Brasil A Copa do Mundo de futebol é um evento que tem grande potencial pedagógico. Afinal, o tema desperta a atenção e ainda aumenta o engajamento dos alunos. Pensando nisso, muitas escolas que ensinam aprendizado socioemocional estão trabalhando com esse assunto e estimulando a compreensão e análise sobre as emoções e domínios. Algumas competências trabalhadas são o autoconhecimento, autocontrole, empatia, tomada de decisões responsáveis e habilidades sociais. Para alunos de 6 a 9 anos, por exemplo, são propostas atividades que estimulam o domínio socioemocional do autoconhecimento. Os estudantes devem se colocar no lugar de um jogador profissional. Depois, pensar na emoção dominante em situações comuns numa partida de futebol. Na sequência, em grupos, eles podem comparar e discutir suas respostas. Veja mais...

14 06, 2018

Terra (Papo de Mãe): Copa do Mundo na sala de aula: como lidar com as emoções

2018-06-14T12:18:29+00:00 Semente na Mídia|

Veículo: Terra - Papo de Mãe Evento mundial desperta sentimentos positivos e desagradáveis, como alegria, ansiedade, expectativa, raiva e frustação. Programa de aprendizagem socioemocional prepara estudantes para compreender a multiplicidade de emoções que surgem durante uma partida de futebol Levar a Copa do Mundo para a sala de aula é um recurso pedagógico eficaz, já que o tema desperta a atenção dos alunos e aumenta o engajamento dos estudantes nessa época. Em muitas escolas que ensinam aprendizagem socioemocional, o assunto está sendo trabalhado como recurso para estimular a compreensão e a análise sobre as emoções e domínios, como autoconhecimento, autocontrole, empatia, tomada de decisões responsáveis e habilidades sociais. Veja mais...

28 05, 2018

Canal Futura: Aprendizagem Socioemocional

2018-05-30T11:09:03+00:00 Semente na Mídia|

A Base Nacional Comum Curricular prevê o desenvolvimento de habilidade socioemocionais dos estudantes. O programa Semente ajuda jovens a desenvolverem competências como autocontrole, empatia e perseverança. Entrevistado: Eduardo Calbucci, diretor do programa Semente Apresentação: Karen de Souza Clique aqui para ver a entrevista na íntegra!

25 05, 2018

Nova Escola: “Habilidades socioemocionais são tão importantes quanto os rankings”

2018-05-25T14:26:22+00:00 Semente na Mídia|

Veículo: Nova Escola Estudo aponta desempenho melhor dos alunos que passam por aprendizado dessas competências As escolas brasileiras terão de incluir as habilidades socioemocionais nos seus currículos, a partir de 2020, conforme prevê a nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Projetos como o Guia da Base - Competências Gerais e iniciativas como a do Porvir destacam a importância da aplicação dessas habilidades em sala de aula. Mas faltava um estudo que mostrasse o avanço dos alunos a partir desse aprendizado. Uma pesquisa da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) aponta que alunos expostos a um aprendizado que inclui o desenvolvimento das competências socioemocionais apresentam um comportamento melhor e possuem mais autocontrole. Durante um ano, os pesquisadores acompanharam um grupo de 9,6 mil estudantes entre 10 e 17 anos. A partir do material desenvolvido pelo Programa Semente, o estudo mapeou o avanço nos níveis [...]

23 05, 2018

Estadão: Empatia e autocontrole aumentam em jovens que recebem educação socioemocional, diz pesquisa

2018-05-24T11:42:51+00:00 Semente na Mídia|

Veículo: Estadão Estudo realizado pela UFRJ mostrou aumento nos níveis de autocontrole, empatia, autoconhecimento e habilidades sociais Foi-se o tempo em que as disciplinas básicas como Português, Matemática, Geografia, História, Ciências e Educação Física eram consideradas suficientes para formação completa de uma criança. Nos últimos anos, especialistas em educação perceberam que as habilidades cognitivas não bastam, e a capacidade dos alunos de lidarem com suas emoções entrou no radar das instituições – até das universidades. E aí entra o ensino das habilidades socioemocionais. Veja mais...

20 05, 2018

Rádio Bandeirantes: Psiquiatra Celso Lopes de Souza fala sobre suicídio em entrevista

2018-05-24T11:42:36+00:00 Semente na Mídia|

Veículo: Rádio Bandeirantes No programa Bandeirantes Acontece, da Rádio Bandeirantes 90.9 fm, que foi ao ar no último domingo, dia 20 de maio, o psiquiatra e fundador do Programa Semente, Celso Lopes de Souza,  participou de uma entrevista para falar sobre o suicídio precoce e como ajudar quem está passando por algum tipo de problema. Durante a entrevista, Celso também falou sobre como a aprendizagem socioemocional nas escolas, através do Programa Semente, pode colaborar para a diminuição dos casos de suicídio, depressão e ansiedade. Veja mais...  

27 04, 2018

Isto É: Uma opressão maior que a vida

2018-05-24T11:42:20+00:00 Semente na Mídia|

Veículo: Isto É Casos de suicídios em escolas de São Paulo disparam um alerta na sociedade quanto à opressão em que vivem os adolescentes hoje, mostram a vulnerabilidade em relação ao sofrimento psicológico e impulsionam ações de conscientização para a prevenção desse mal que aflige o mundo todo A infelicidade extrema, a falta de esperança e a frustração com as vicissitudes inerentes à vida têm produzido um quadro alarmante na última década no Brasil: em média, 11 mil pessoas se matam por ano, um a cada 48 minutos, 30 por dia. Jovens com imensurável potencial para se destacar em inúmeras atividades estão decidindo por fim à própria vida bruscamente por não saber lidar com as opressões do mundo atual. Em vez de acalentar projetos, muitos interrompem seus sonhos com frequência inaceitável. Na semana passada, o tema ganhou visibilidade novamente no [...]

24 04, 2018

UOL: Suicídio de colegas: como falar do tema com jovens e evitar novos casos

2018-04-25T11:04:55+00:00 Semente na Mídia|

Veículo: Universa - UOL Nas duas últimas semanas, dois estudantes do tradicional colégio paulistano Bandeirantes cometeram suicídio. Em nota à imprensa, a escola informou que não divulgará detalhes das mortes em respeito às famílias e que "tem realizado diversas ações direcionadas aos alunos, bem como à equipe pedagógica e aos funcionários para lidar com o ocorrido". No dia 19 de abril, um adolescente de 14 anos, do Colégio Agostiniano São José, de São Paulo, também tirou a própria vida. A proximidade dos casos reavivou a discussão sobre o suicídio de adolescentes. Entre 2012 e 2014, houve um aumento de 10% na taxa de suicídio de jovens entre 15 e 29 anos, segundo dados do Mapa da Violência. Veja mais...

24 04, 2018

Jornal O TEMPO: A pedagogia dos sentimentos

2018-04-25T11:05:20+00:00 Semente na Mídia|

Veículo: Jornal O TEMPO Programa Semente utiliza a aprendizagem socioemocional para melhor performance acadêmica Genuinamente brasileiro. Assim é o Programa Semente, que aborda sentimentos, pensamentos, comportamentos e relacionamentos. Trata-se de uma metodologia que ensina a entender a mente e a plantar um futuro melhor, preparando crianças e jovens para lidar com a aprendizagem socioemocional, por meio do domínio das emoções. Os criadores do programa são o médico psiquiatra Celso Lopes de Souza e o linguista Eduardo Calbucci, ambos com grande experiência em educação. “Comecei minha carreira há 20 anos como professor, logo no início da graduação em medicina. Ao decidir entrar na psiquiatria, seguindo com o trabalho de professor, pude observar de perto o quanto os aspectos emocionais tinham impacto na vida dos estudantes e das pessoas”, comenta Celso. Veja mais...