Escolas, busquem se adaptar à BNCC antes do prazo estabelecido

Escolas, busquem se adaptar à BNCC antes do prazo estabelecido

Inclusão da aprendizagem socioemocional ao texto é um dos pontos mais elogiados por educadores

Todas as escolas brasileiras, públicas e privadas, precisarão se adequar às propostas da Base Nacional Comum Curricular, (BNCC) documento que norteia o conjunto de conhecimentos para todos os alunos da nação. Além de ensinar conteúdos de matérias regulares, como língua portuguesa, matemática, geografia e ciências, as instituições deverão ministrar também competências fundamentais, como as habilidades socioemocionais. Até dezembro de 2020, um comitê especial irá acompanhar a implementação da Base.

Apesar do prazo, quanto antes as escolas se adequarem às propostas, melhor será para o aprendizado dos alunos. As chamadas habilidades socioemocionais foram adicionadas ao documento como conteúdo obrigatório. Desenvolver empatia, trabalho em equipe, resiliência, entre outros, é necessário para o crescimento profissional e individual de cada criança. O acréscimo dessas competências ao texto foi um dos pontos mais elogiados por educadores brasileiros. Em países como Canadá, Finlândia e Coreia do Sul, referências mundiais quando o assunto é Educação, o tema já é trabalhado. No entanto, Eduardo Calbucci, professor e um dos criadores do Programa Semente, ressalta: “O documento diz claramente que as habilidades socioemocionais deverão ser abordadas no ensino, mas não de que forma”. Para ele, o segredo é ensinar tais competências por meio de um projeto sério, respaldado em pesquisas científicas. “É desejável que haja um método sistematizado para que melhores resultados sejam obtidos”, explica.

As instituições de ensino que já ministram a aprendizagem socioemocional revelam que o tema é urgente. “Trabalho com educação há 47 anos e antes sentia dificuldade em dar suporte às crianças; as famílias também estão fragilizadas, precisamos fortalecer nossos alunos”, conta Sonia Maria Soares, diretora que implementou o Programa Semente nos colégios Pelicano e Sete de Setembro no ano passado, ambos de Poços de Caldas (MG).

A metodologia do Programa Semente possui fundamento científico e segue o padrão internacional dos cinco domínios do Casel – autoconhecimento, autocontrole, empatia, decisões responsáveis e habilidades sociais. Dessa forma, as habilidades socioemocionais são ensinadas de maneira objetiva à crianças e adolescentes. “O Programa Semente ajuda a escola a se adaptar à BNCC de forma rápida e eficaz”, diz Calbucci.

 

2018-05-09T13:38:43+00:00 Semente na Escola|