Na era das ‘fake news’, escola deve fornecer ferramentas para aluno desenvolver o senso crítico

Na era das ‘fake news’, escola deve fornecer ferramentas para aluno desenvolver o senso crítico

Tomada de decisões responsáveis, um dos pilares da aprendizagem socioemocional, é uma grande aliada no processo

É sabido que o computador e a internet mudaram a forma como consumimos informação. As novas gerações, sobretudo as que vivem nos grandes centros urbanos e que já nasceram inseridas no contexto digital, têm grande facilidade para trafegar pela web. A transformação chegou também às escolas: hoje, a internet pode ser usada como plataforma de auxílio da educação. Mas será que somente o acesso à informação online é capaz de gerar conhecimento?

A resposta é: não. Os conteúdos e dados informativos disponíveis na internet necessitam da análise e do senso crítico humano. Daí a importância vital da escola para a formação do indivíduo. “O professor não deve disputar com o Google, mas selecionar e conduzir o aluno ao conhecimento efetivo”, explica Eduardo Calbucci, educador e um dos criadores do Programa Semente.

Como exemplo prático, ele cita as chamadas fake news, notícias falsas criadas para confundir e espalhar boatos nas redes. A disseminação desse tipo de informação pode trazer sérias consequências para a sociedade, como influência na política e destruição de reputações. O aluno deve ter o discernimento para apurar os fatos, separando a nota fantasiosa da verdadeira.

“Se o estudante não tem elementos suficientes para perceber o que é falso, ele será ludibriado”, afirma. “Nesse ponto, a escola é sempre formativa porque fornece ferramentas que dão autonomia ao indivíduo e esse conhecimento é libertador”, ressalta Calbucci.

Programas estruturados ajudam na formação do senso crítico

Para as escolas que aderem a programas estruturados de aprendizagem socioemocional, garantir tal autonomia é parte do processo de formação. Um dos pilares do Programa Semente, por exemplo, é a tomada de decisões responsáveis. O domínio ensina o jovem a fazer escolhas comprometidas com padrões éticos. Para isso, é necessário conhecer normas sociais e avaliar as consequências das ações individuais. É através desse conhecimento que o aluno desenvolve o senso crítico para ler o mundo ao seu redor.

Assim, no futuro, os jovens se tornarão adultos capazes de filtrar e compreender de maneira perspicaz a enxurrada de informações que a internet disponibiliza a cada segundo. Isso gera uma sociedade mais respeitosa e civilizada. Na era digital, compreender a diferença entre informação e conhecimento é reconhecer o papel central da educação na formação do ser humano.

 

 

 

2018-09-21T11:14:06+00:00 Semente na Escola|