EuSouSemente

11 03, 2019

Aprendizagem socioemocional é importante no combate ao bullying

2019-03-11T10:01:08+00:00 Semente na Escola|

Trabalho com autorregulação possibilita melhor controle de impulsos e de ações impensadas que provocam danos físicos ou emocionais aos outros A sala de aula é um ambiente plural, com pessoas de origens e características diferentes. No entanto, muitos estudantes sofrem bullying por não se encaixarem em determinado padrão. Nesse sentido, a aprendizagem socioemocional pode impactar positivamente - tanto nos praticantes do bullying quanto nas vítimas. Segundo a diretora-geral do Programa Semente, Tania Fontolan, ao abordar o autoconhecimento em sala de aula, é possível criar uma série de situações em que cada criança ou adolescente possa refletir sobre as emoções, suas características, as sensações boas ou ruins que provocam. “Quando falamos sobre as dores que o bullying provoca, o praticante é capaz de se colocar mais facilmente no lugar de sua vítima, refletindo sobre como se sentiria se fizessem algo semelhante com ele”, afirma. Segundo [...]

6 03, 2019

Atividades em grupo fortalecem as relações sociais entre estudantes

2019-03-06T18:05:49+00:00 Semente na Escola|

Ações são importantes para mostrar que os aprendizados podem ser coletivos Realizar atividades em grupo é importante para estimular a percepção da diversidade dentro de sala de aula. Ao mesmo tempo, essas ações ajudam os estudantes a notar que não estão sozinhos no mundo e que fazem parte de uma coletividade. Os programas de aprendizagem socioemocional possuem uma série de dinâmicas em grupo que permitem aos estudantes trabalhar o senso de pertencimento a um grupo e, ao mesmo tempo, desenvolver a individualidade. No Programa Semente, mais de 90% das aulas têm pelo menos uma atividade planejada para ser feita coletivamente. Segundo Eduardo Calbucci, professor e um dos criadores do Programa Semente, essas atividades podem ser em dupla, em pequenos grupos ou até mesmo com toda a sala envolvida. “É importante mostrar que, assim como os conflitos são coletivos, as soluções [...]

1 03, 2019

Carnaval: como controlar a impulsividade e tomar decisões responsáveis?

2019-03-01T12:46:24+00:00 Semente na Escola|

Nas festividades do feriado, especialista em habilidades socioemocionais dá orientações sobre atitudes que podem evitar consequências negativas e arrependimentos futuros Período de diversão e festas, o carnaval é capaz de despertar e estimular emoções agradáveis, como a alegria. Essa emoção, em seus diferentes níveis, leva as pessoas a sentir do prazer sensorial à euforia. O problema é que, dependendo da intensidade desses sentimentos, temos dificuldade em analisar situações com calma, para tomar uma decisão responsável. Segundo o educador e fundador do Programa Semente, Eduardo Calbucci, qualquer momento que envolve uma emoção de alta intensidade prejudica a capacidade das pessoas de fazer boas escolhas. Por isso, o carnaval é uma época mais suscetível para comportamentos impulsivos. Excesso de consumo de bebidas alcoólicas, uso de drogas, relações sexuais sem proteção, mistura de bebida e direção, tudo isso acaba acontecendo nesse período de [...]

26 02, 2019

A Tribuna: Como acontecimentos trágicos podem se tornar aprendizados

2019-02-28T11:32:33+00:00 Semente na Mídia|

Veículo: A Tribuna Data: 26/02/2019 Artigo por Celso Lopes de Souza Uma sucessão de acontecimentos trágicos nos últimos dias colocou os brasileiros diante de um sofrimento coletivo, mistura de indignação, frustração, angústia, desânimo. Afinal, grandes tragédias suscitam umas das emoções mais básicas do ser humano: a tristeza. Esse sentimento se origina de uma percepção de perda, de algo que não pode ser substituído com facilidade. Por isso, a tristeza pode resultar em duas ações distintas: tentar recuperar o que foi perdido ou, de alguma forma, superar aquilo, encontrando coisas que possam preencher o espaço vazio. Certamente, lidar com a perda de um emprego ou com o término de um relacionamento afetivo é mais fácil do que enfrentar situações em que dezenas de vidas (às vezes, centenas, como no caso de Brumadinho, em Minas Gerais) se vão num piscar de olhos. [...]

25 02, 2019

Habilidades socioemocionais ajudam a lidar com as Fake News

2019-02-25T11:17:46+00:00 Semente na Escola|

Internet exige capacidade de discernimento para a tomada de decisões A disseminação de boatos sempre existiu, mas com a internet atingiu proporções até pouco tempo inimagináveis. Num mar de perfis mal-intencionados nas redes sociais e de páginas pouco confiáveis que simulam portais de notícias, a aprendizagem socioemocional pode ajudar a desenvolver habilidades que auxiliam o usuário a lidar com as notícias falsas. Segundo o professor Eduardo Calbucci, um dos fundadores do Programa Semente, as “fake news” são problemas porque podem manipular nossas as decisões. Por isso, uma boa atitude perante as notícias que nos chegam pela web é duvidar das primeiras impressões. “A grande questão é que nós tomamos decisões com base nas informações que temos diante de nós. Se essas informações não são confiáveis, tomaremos más decisões. É preciso sempre buscar novas informações, desconfiar das coisas, fugir dos estereótipos. [...]

23 02, 2019

Folha de Londrina: O desafio de assumir riscos em busca do sonho longe de casa

2019-02-27T14:08:38+00:00 Semente na Mídia|

Veículo: Folha de Londrina Data: 23/02/2019 Na tomada de decisão por uma carreira que se inicia cedo, pais precisam avaliar o desenvolvimento de habilidades socioemocionais dos filhos na capacidade de tomar decisões responsáveis sozinhos O incêndio no Ninho do Urubu, como é conhecido o CT (Centro de Treinamento) do Flamengo, no Rio de Janeiro, comoveu o país ao causar a morte de 10 adolescentes que sonhavam com uma carreira no futebol, oportunidade única que mexe com o desejo de muitos brasileiros. Sair de casa cedo é comum em carreiras que buscam jovens talentos, mas tragédias como essas trazem o receio de dar liberdade aos filhos para que aproveitem suas chances longe da proteção dos pais. A decisão deve ser tomada com base na avaliação sobre autonomia e responsabilidade. O médico psiquiatra Celso Lopes de Souza é defensor do desenvolvimento socioemocional [...]

21 02, 2019

Filhos precisam aprender a tomar decisões responsáveis para se tornarem independentes

2019-02-20T16:04:56+00:00 Semente na Escola|

Jovens devem entender o impacto de suas decisões no mundo, a curto e a longo prazo Como não será possível passar o resto da vida ao lado de nossos filhos ou de nossos alunos, é preciso ensiná-los a tomar decisões de maneira autônoma e responsável – e isso é possível por meio das habilidades socioemocionais. Quanto antes esse aprendizado é iniciado, mais cedo as crianças e os adolescentes terão condições para dar passos certeiros em direção aos seus objetivos. Do outro lado, mais seguros estarão os pais e responsáveis, em relação à independência dos jovens. A autonomia pode ser desenvolvida em diferentes estágios da vida. Uma criança de seis anos que não quer emprestar um brinquedo ou um adolescente que vive um amor não correspondido podem, com as ferramentas certas, tomar decisões equilibradas, de maneira autônoma, para enfrentar as adversidades. [...]

18 02, 2019

Internet pode transmitir uma imagem deturpada das pessoas

2019-02-18T10:21:41+00:00 Semente na Escola|

Publicações nas redes sociais são parciais e, muitas vezes, não condizem com a realidade As redes sociais estão transformando não apenas nossas relações com a tecnologia, mas também nossas relações com as outras pessoas. À deriva em um mar de compartilhamentos, curtidas e comentários, grande parte dos usuários precisa da aceitação alheia para se sentir bem. Dessa forma, um espaço que, a princípio, deveria ser uma ferramenta para a conexão entre amigos e para o compartilhamento de ideias, torna-se um meio para avaliar a reputação dos outros. Segundo Eduardo Calbucci, professor e um dos fundadores do Programa Semente, qualquer publicação em uma rede social é, por definição, parcial, ou seja, a pessoa escolhe uma foto ou um texto para postar que faz parte de um todo ao qual não temos acesso. Por isso, não devemos dar mais importância do que [...]